download (8)Uma matéria publicada no site do jornal Extra, no último domingo (6/8), traz um importante alerta para a sociedade brasileira: proteção veicular não é seguro e não garante segurança de quem a contrata.”A proteção veicular tem regras completamente diferentes do seguro automotivo tradicional, vendido por seguradoras, e um risco alto de, em caso de problemas, o dono do carro não receber indenização”.

É importante a sociedade saber as principais diferenças entre empresas de proteção veicular e as seguradoras. Entre elas está que quando segurado contrata uma apólice para proteger seu carro, ele transfere o risco para a seguradora, na “proteção veicular”, o associado assina um Contrato de Responsabilidade Mútua e divide o risco com os demais associados. Além disso, o prêmio anual do seguro pode ser pago à vista ou dividido em parcelas pré-fixadas. Já na “proteção veicular” é paga uma mensalidade, cujo valor, em geral, é composto por uma taxa de administração fixa, mais o rateio, que varia mês a mês. Dessa forma, não há como fazer um planejamento financeiro. Vale lembrar que rateio é a totalidade dos prejuízos apurados no mês anterior, dividida por todos os associados.

Outra diferença é que a “proteção veicular” não é regida por leis, Segundo a Susep, as empresas que comercializam a proteção veicular, não se enquadram no mercado supervisionado pela autarquia. De acordo com a autarquia, elas não cumprem regras e critérios preestabelecidos pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), o que faz com que elas não cumpram seuscompromissos financeiros. Tais empresas, diz a superintendência, “fazem parte de um mercado marginal de comercialização irregular de produtos similares a seguros”.

Segundo o diretor-executivo da Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg), Julio Cesar Rosa, “Cooperativas e associações de classe, mesmo sendo legais, não podem oferecer seguros como dizem em suas propagandas. A cooperativa, por exemplo, é um encontro de pessoas, que, no mesmo ambiente e vinculação de interesses, criam um conjunto associativo para oferecer serviços. Contudo, elas não têm constituição de reserva e patrimônio suficiente para assumir riscos”.

O presidente do Clube dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro (CCS-RJ), Jayme Torres, disse que os principais motivos para o aumento do chamado golpe do seguro são a falta de conhecimento do consumidor e as propagandas enganosas utilizadas na comercialização do serviço. “Acredito que a falta de conhecimento de que não se trata de um seguro seja um dos principais fatores, porque há casos em que o preço dessa “proteção” é até maior. A forma enganosa como é feita a divulgação e a comercialização, passando a imagem de se tratar de uma alternativa vantajosa ao consumidor, é o que leva a maioria das pessoas a contratarem a chamada proteção veicular”, comentou.

Fonte: CQCS

Leia mais...

Seguradora está alinhada com o novo perfil do mercado, que busca cada vez mais meios digitais e um relacionamento mais próximo

Uma seguradora voltada para o futuro, que facilita a vida dos corretores e oferece soluções completas para seus segurados. Assim é a Previsul Seguradora, que completa 111 anos no dia 1º de agosto. Com 4.484 corretores cadastrados, a companhia, que é referência em seguro de pessoas no Brasil, está presente em 12 estados brasileiros, 8 sucursais e 11 escritórios, além da matriz em Porto Alegre (RS).

“Ultrapassar os 100 anos no Brasil é muito raro. Por isso, chegar aos 111 anos representa um marco. A Previsul passou por diversos desafios econômicos e de mercado, e sua capacidade de evolução em todo esse tempo, possibilitou que chegássemos até aqui, sempre buscando garantir as melhores coberturas para as pessoas. Por isso, podemos dizer que a palavra que resume os 111 anos é orgulho”, destaca o presidente, Renato Pedroso.

O principal desafio da empresa, segundo Pedroso, é ser uma companhia moderna que acompanha os movimentos do mercado e busca oferecer, cada vez mais, soluções que possibilitem que as pessoas vivam o hoje de forma mais leve, com a tranquilidade de que o futuro está garantido. “Para isso, investimos cada vez mais em tecnologias que oportunizem mais acesso a informações e que agilizem o contato do corretor com o segurado. Prova disso, é que chegamos aos 111 anos, com muitas novidades”, diz Pedroso.

Uma delas é o Portal do Corretor, canal exclusivo e totalmente digital para que o corretor possa ter acesso a todas as informações sobre cotações e propostas, de uma maneira simples e fácil. O portal permite consultar todo o relacionamento do corretor com a Previsul, como movimentação financeira, pagamento de seguros por apólice e por segurado, além de emitir segunda via de pagamento, de certificado, de boleto registrado.

Para o segurado, está sendo disponibilizado um novo canal que permite acesso completo às informações do seu seguro, tais como faturas, coberturas e assistências além de consultas aos mais diversos serviços.

Outra novidade é o investimento focado no atendimento ao cliente. Visando disponibilizar uma experiência multicanais, a Previsul aposta no atendimento online pelo WhatsApp, no atendimento virtual com o ChatBot no site, além dos Portais do Corretor e do Segurado. “Acreditamos que essas ferramentas digitais possibilitarão ao cliente acesso a diversas informações de seu seguro sem a necessidade de atendimento no 0800. Além destas novidades, lançamos no mês de junho a nova célula de Retenção de Clientes, reforçando com os segurados os benefícios que o seguro proporciona”, afirma Pedroso.

História – A Previsul Seguradora foi fundada em 1906 como Companhia de Seguros Previdência do Sul, na cidade de Porto Alegre. Em 2013, teve suas ações adquiridas pela Caixa Seguradora, quando adotou um novo posicionamento de mercado, com foco em flexibilidade, simplicidade, inovação e modernidade.

Fonte: Literal Link

Leia mais...

Miguel Pérez Jaime presidente da Allianz Seguros Crédito Túlio VidalSão Paulo, 3 de agosto de 2017 – Na terça-feira, 8, o espanhol Miguel Pérez Jaime, presidente, Eduardo Grillo, diretor executivo Comercial e Market Management, e Ricardo Zhouri, diretor regional Minas Gerais e Centro-Oeste, inauguram em Pouso Alegre a 63ª filial da Allianz Seguros, subsidiária brasileira do Grupo Allianz, o maior grupo segurador do mundo. A unidade localizada no Sul de Minas Gerais é a nona do estado e atenderá mais de 30 cidades, como Itajubá, Extrema e Santa Rita do Sapucaí.

A estrutura própria é uma demanda ocasionada pelo desenvolvimento da região, que vem potencializando negócios. Pouso Alegre e as cidades vizinhas, com a economia calcada no comércio e serviço, atualmente vivem um boom industrial, o que faz a Allianz ficar atenta às oportunidades de seguros ligados a empresas (incluindo produtos de Vida), construções e transportes. A operação ainda estará fortemente voltada à comercialização de Massificados, como Automóvel, Residência e Condomínio. Esses ramos, além de estarem no centro da estratégia da seguradora em todo o país, ainda contam com o fato de o Sul de Minas Gerais ter 102,6 mil veículos seguráveis (21 mil em Pouso Alegre) e mais de 300 mil domicílios; só em Pouso Alegre são 48,3 mil, sendo 91% urbanos (dado IBGE). A filial ainda permitirá a seguradora aumentar a sua presença na região e intensificar o relacionamento com os corretores de seguros, o seu principal canal de vendas.

Serviço
Filial Allianz Seguros Pouso Alegre
Av.: Vicente Simões, 859 – Centro

Informações à imprensa
Virta Comunicação Corporativa
Bianca Bordignon – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
55 11 3894-2434
Larissa Marçal – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
55 11 3894-2427

Leia mais...

tecnica-de-vendas1Diante de tantas mazelas que atingem a população, qual deve ser a postura adotada pelo corretor de seguros na orientação aos clientes? Segundo o consultor Sergio Ricardo, o ideal é que cada profissional dê ênfase a esses problemas e alerte o consumidor sobre os riscos aos quais está sujeito no dia a dia. “Quando as mazelas do SUS ou da Previdência Social são evidenciadas pela mídia, as pessoas tendem a dar mais importância a seguros. Então, não deve haver nenhum constrangimento dos corretores em salientá-las a seus clientes, porque é sua função, dentre outras, promover a cultura de seguros”, diz o consultor.

Ele acrescenta que, como intermediários mais importantes da distribuição de seguros para a sociedade, os corretores “têm obrigação” de entender a demanda de seus clientes e de conscientizá-los quanto aos riscos expostos, além de ofertar as melhores soluções de proteção.

Nesse contexto, é fundamental mostrar que o seguro é uma das soluções para as necessidades de proteção dos indivíduos, porque atua na reposição dos bens eventualmente perdidos por sinistros e até, como proteção social e fonte de poupança e investimentos, como sabemos. “Em que pese se dizer por aí que os brasileiros têm os planos de saúde como um dos seus desejos principais poderíamos consertar isso dizendo que o Homem tem necessidade de acesso à saúde e só aceita pagar por ela em face de sua necessidade de proteção”, enfatiza Sergio Ricardo.

Em síntese, isso significa que as necessidades de segurança aparecem após o suprimento das necessidades fisiológicas. São representadas por necessidades de segurança e estabilidade, como proteção contra a violência, proteção para saúde, recursos financeiros e outros. É nesse momento que se torna ainda mais crucial e relevante o papel exercido pelo corretor de seguros. “Segundo Abraham Harold Maslow, psicólogo americano, conhecido pela proposta do que ficou conhecido como Hierarquia de Necessidades de Maslow, o homem é motivado segundo suas necessidades que se manifestam em graus de importância onde as fisiológicas são as necessidades iniciais e as de realização pessoal são as necessidades finais. Cada necessidade humana influencia na motivação e na realização do indivíduo que o faz prosseguir para outras necessidades que marcam uma pirâmide hierárquica”, conclui o consultor.

Fonte: CQCS

Leia mais...

porque-optar-pelo-simplesO corretor de seguros deve ficar atento para não correr o risco de ser vítima no golpe do Simples, no qual golpistas especializados oferecem “troca de créditos por débitos” na Receita Federal. Segundo o consultor do Sincor-RJ, Affonso d”Anzicourt, esse tipo de golpe é “coisa antiga” e o corretor deve desconfiar de quem afirma ter disponibilidade de crédito acima de 30%. “Os golpistas dizem ter milhões de reais em crédito na Receita e tentam ludibriar quem tem débitos, oferecendo uma troca. Mas, qualquer vantagem acima de 30% é suspeita. É preciso ter muito cuidado”, alerta o consultor.

Ele aconselha o corretor de seguro a verificar a idoneidade da empresa que oferece a “troca”, pedir referências e procurar a Receita Federal para verificar se há algum procedimento possível. “Esses golpistas inventam muito”, frisa Affonso d”Anzicourt.

Segundo ele, o problema tende a se agravar nas próximas semanas, uma vez que termina no dia 31 de agosto o prazo para parcelamento de débitos com vantagens significativas. “Mas, essa vantagem é obtida direto com a Receita Federal. A dica é para o corretor procurar o plantão da Receita Federal do seu estado para saber a veracidade do que for oferecido”, acrescenta o consultor.

Affonso d”Anzicourt assinala também que, caso o corretor já tenha sido vítima de uma fraude, terá que pagar o que deve novamente e vai perder o dinheiro. Contudo, não corre o risco de ser excluído do programa de parcelamento da dívida. “Se ele estiver devendo, tem que ficar atento, pois vai receber uma notificação, seja pelo correio eletrônico, ou pelos Correios, informando que se encontra em débito e deve regularizar sua situação em tantos dias. Depois disso, o corretor deve ir até a Receita e parcelar o débito. Não estará excluído”, explica.

Contudo, adverte o consultor, se o corretor tentar fazer um parcelamento clandestino e esse parcelamento não entrar na caixa postal dele, na conta corrente dele, ele perde tudo. “O perigo é ficar tentado a comprar um crédito. Não entre nessa, verifique a idoneidade do trabalho, os créditos que tem. Crédito ouro, especial, saia fora!”, orienta Affonso d”Anzicourt.

Fonte: CQCS

golpeUm homem de 30 anos, identificado apenas como Alan pela reportagem do Bom Dia DF, da Rede Globo, está internado em um hospital particular de Brasília para tratar um tumor na cabeça. O que o paciente nem a família esperavam era que o plano de saúde fosse cancelado sem qualquer notificação prévia por conta de um golpe. Agora a família recebeu uma fatura de quase 1 milhão de reais.

Alan deu entrada num Hospital particular no dia 8 de maio e durante 19 dias o plano de saúde cobriu todas as despesas do paciente. Dentre os gastos, o plano arcou inclusive com quatro cirurgias para retirar parte do tumor na cabeça, porém no dia 13 deste mês sua esposa recebeu uma ligação do plano de saúde. Segundo Poliana, a operadora Amil ligou na quinta-feira do dia 13. “Eles entraram em contato primeiro perguntando como estava o estado de saúde do Alan. Em seguida, já informaram que foi feito o cancelamento do plano e perguntaram se nós já tínhamos ciência, aí eu disse que sim”, explica ela.

Como o plano de saúde deixou de cobrir os gastos, o hospital enviou uma cobrança de mais de R$ 907 mil e Poliana diz que esse valor já aumentou e está próximo de R$ 1 milhão. “Isso é impagável. A gente nessa situação com o Alan no hospital sem poder trabalhar e eu também. É desesperador porque a gente não sabe como resolver o problema”.

Um Defensor Público afirma que o paciente e a operadora Amil foram vítimas de um golpe de saúde aplicado pela empresa Planos Corretora. Segundo ele, pelo menos dez pessoas já procuraram a defensoria do Distrito Federal para denunciar a corretora. O Defensor explica que a corretora mente para o plano sobre os dados do cliente para não perder o negócio. “Ela coloca a pessoa no plano de saúde e informa à operadora do plano que essa pessoa participava de um grupo, seja uma associação ou uma empresa. A pessoa paga normalmente o plano de saúde, mas no momento que precisa utilizar não demora muito para a operadora, neste caso a Amil, descobrir que essa pessoa não pertence àquele grupo e ela como parte também lesada acaba cancelando o plano”.

Segundo as imagens é exatamente isso que a carteirinha de Alan mostra. Nela aparece identificado como se ele fosse vinculado a uma empresa, mas o paciente nunca trabalhou nela e está desempregado. O defensor explicou que, pela lei, como o paciente fez o plano de saúde em setembro do ano passado, momento em que já estava doente, ele só teria direito a cobertura do tratamento pelo plano após a carência, que neste caso seria dois anos depois.

“São pessoas em situações graves de saúde que tem confiado nessa empresa. Elas pagaram caro e esperam ter um tratamento de saúde, pois realmente precisam e no final das contas isso não acontece porque elas são colocadas de forma ilegal. Essa corretora passa uma informação para o plano que não é verdadeira e o plano acaba cancelando”, enfatiza o Defensor.

O Defensor Público ainda disse que vai entrar na justiça contra a Planos Corretora.

Clique aqui e confira a reportagem completa.

Fonte: CQCS

Leia mais...

Financial data analyzing. Counting on calculator.Nomeado pela Susep, o liquidante de Seguradora, Pedro Paulo Pereira Mota, publicou no Diário Oficial da União um comunicado convocando os credores dessa companhia para apresentarem suas declarações de crédito, a partir da próxima segunda-feira, dia 24 de julho e até 1º de setembro de 2017.

De acordo com a publicação, essas declarações deverão ser feitas com observância do modelo disponível no site www.nobre.com.br ou obtido na sede da seguradora.

Além disso, devem ser apresentados os documentos comprobatórios dos respectivos créditos (originais ou cópias autenticadas), assinados pelo credor ou por seu representante legal (comprovadamente constituído) com reconhecimento de firma.

Esses documentos deverão ser entregues diretamente, de segunda a sexta-feira, no horário das 09h00min às 16h00min, ou enviadas por carta com aviso de recebimento (AR) para o seguinte endereço: Rua Vergueiro 6964, Vila Firmino Pinto, São Paulo – SP, CEP 04272-200.

Estão dispensados de apresentar as Declarações de Crédito os credores por dívida de indenização de sinistro ou de restituição de prêmios, por prêmios de cosseguro e de resseguro.

Eventuais dúvidas poderão ser esclarecidas pelo telefone (11) 5069-1177 ou diretamente na sede da massa liquidanda.

Fonte: CQCS

Leia mais...