sincor melhores do ano

 

Comunicamos a todos que no dia 12 de Outubro inicia a escolha dos Melhores do Ano de 2018.

O Evento para a entrega do Troféu SINCOR-SC acontecerá no dia 29 de Novembro, no Salão Nobre o Bela Vista Country Club.

O período de escolha encerra no dia 12 de novembro, onde os corretores estarão definindo os Melhores do Ano em oito regiões do Estado (Oeste, Meio Oeste, Planalto Serrano/Alto Vale, Vale do Itajaí, Litoral, Joinville/Planalto Norte, Grande Florianópolis e Sul do Estado).

Serão as seguintes categorias por região:

• Melhor Seguradora de Automóvel;

• Melhor Seguradora de Ramos Elementares;

• Melhor Seguradora de Vida;

• Melhor Seguradora de Previdência, Saúde e Benefícios;

• Melhor Assessor Comercial;

• Melhor Gerente de Sucursal;


Escolha única para o Estado:

• Melhor Diretor/Superintendente/Gerente Estadual

Comecem desde já a refletir sobre qual Seguradora deu o melhor suporte em produtos e Serviços, como também os profissionais que se dedicaram para oferecer o melhor  atendimento à sua Corretora.

Em breve estaremos divulgando o regulamento. 

corretor

 

Corretores de seguros e outros profissionais do setor podem inscrever textos de sua autoria na categoria especial “FENACOR 50 anos”do Prêmio Nacional de Jornalismo em Seguros. Mas atenção: para concorrer, esses trabalhos precisam ser publicados em sites, jornais ou revistas, até 30 de outubro de 2018. Alguns sites e portais, inclusive, já anunciara que vão disponibilizar espaços para a publicação desses trabalhos, como o www.cqcs.com.br  www.ccsrj.com.br e www.revistaapolice.com.br.
E outros mais irão confirmar nos próximos dias. Fique atento!

O texto deve versar sobre a contribuição do corretor e da FENACOR para o desenvolvimento do mercado. Os três primeiros colocados
receberão 
R$ 30 milR$ 10 mil e R$ 5 mil

Inscrições no hotsite: 
www.fenacor.org.br/premiodejornalismo

 

 

Realização:

fenacor

allianz logo

 

A  Allianz Seguros foi eleita uma das “100 Melhores Empresas em Satisfação dos Clientes no Brasil” pelo segundo ano consecutivo. A seguradora foi ainda a vencedora da categoria “Seguros Gerais” e em “Seguros de Veículos” figurou entre as cinco primeiras colocadas. Esses dados foram apontados em pesquisa realizada pelo Instituto MESC.

O reconhecimento concretizou a atuação da Allianz em priorizar o entendimento das necessidades e desejos de seus clientes para proporcionar experiências com alto valor agregado, além de ofertar produtos com processos de aquisição simples e ágeis.   

Para chegar às finalistas da edição de 2018, o estudo consultou 1,5 milhão consumidores pertencentes ao Programa de Recompensas MESC, que remunera pessoas para opinar sobre produtos e serviços, entre março de 2017 e 2018. As empresas foram eleitas a partir de um universo de 6 mil companhias avaliadas, pertencentes a 42 segmentos de mercado. A cerimônia de premiação aconteceu no dia 10/09, no Teatro das Artes, em São Paulo.

 

São Paulo, 11 de setembro de 2018

 sincor sesc

 

 

É com satisfação que informamos que as Corretoras de Seguros, filiadas ao SINCOR-SC - Sindicato dos Corretores de Seguros do Estado de Santa Catarina, que por sua vez é vinculado a FENACOR (Federação Nacional de Corretores de Seguros Privados e Resseguros), por ser uma entidade filiada à Confederação Nacional do Comércio –CNC, o Sesc SC passará a atender os funcionários das corretoras de seguros e com carteira assinada, na categoria Trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo. Estes poderão incluir seus dependentes (pais, filhos até 21 anos ou até 24 anos se estudante, cônjuge ou companheiro, netos e avós) tendo  acesso aos benefícios em todo o Brasil.

Destacamos que no caso dos corretores de seguro autônomos, a habilitação no Sesc só poderá ser realizada na categoria Público em Geral, uma vez que não são empregados ou aposentados de empresas enquadradas no plano do comércio.

- Sendo filiado ao Sincor-SC e tendo carteira assinada é necessário os seguintes documentos para fazer o cartão:

•Declaração do Sincor-SC – comprovando que  a Corretora de Seguros está em dia com a contribuição Social;
•Carteira de trabalho
•Último contracheque
•CPF – Cadastro de Pessoa Física
•Carteira de Identidade
•Comprovante de residência
•Foto atualizada (será devolvida)

O cartão é gratuito para titular e dependentes.

Procure a unidade do SESC mais próxima de seu domicilio e faça adesão ao plano completo de benefícios. Acesse o site do SESC e encontre a relação das unidades  http://www.sesc-sc.com.br/

Aos associados que já possuem a carteira na categoria Público em Geral, poderão solicitar a alteração para o plano completo de  benefícios que o SESC oferece a nível Nacional.  

IMG 0661 Large

O Grupo Bradesco Seguros foi mais uma vez reconhecido no Prêmio Mercado de Seguros, promovido pela revista Seguro Total. Na cerimônia de premiação – ocorrida na última terça-feira, 4/9, em São Paulo, o Superintendente Executivo da Bradesco Vida e Previdência, Marcelo Rossetti, foi o responsável por receber cinco troféus Gaivota de Ouro em nome do Grupo Segurador.

A Bradesco Vida e Previdência foi campeã na categoria “Mérito em Vida e Previdência Privada – Excelência Melhor Resultado em Vendas”, a Bradesco Capitalização venceu em “Excelência na Carteira de Capitalização – Empresa Líder e Melhor Resultado em Vendas” e a Bradesco Saúde levou o troféu em “Liderança Nacional na Carteira de Seguro Saúde”. A Bradesco Seguros também conquistou o lugar mais alto no pódio nas categorias “Excelência em Responsabilidade Social, Mobilidade Urbana, Obras Sociais e o Programa Porteiro Amigo do Idoso” e “Melhor Desempenho Nacional – Excelência em Prêmios Totais”. Com os prêmios desta edição, o Grupo Bradesco Seguros alcançou a expressiva marca de 44 troféus Gaivotas de Ouro conquistados até hoje.

O Prêmio Mercado de Seguros tem por objetivo legitimar empresas, produtos, serviços e pessoas que tenham contribuído para o crescimento e fortalecimento do mercado segurador brasileiro.

IMG 0665 1

Legenda da foto: Marcelo Rossetti, Superintendente Executivo da Bradesco Vida e Previdência, recebeu os cinco troféus em nome do Grupo Segurador

Sobre o Grupo Bradesco Seguros

O Grupo Bradesco Seguros, conglomerado segurador da Organização Bradesco, lidera o mercado de seguros brasileiro, com atuação multilinha em âmbito nacional nos segmentos de Seguros, Capitalização e Previdência Complementar Aberta. No primeiro semestre de 2018, o Grupo Segurador apresentou lucro líquido de R$ 3,1 bilhões, evolução de 18,9% em relação ao registrado no mesmo período de 2017, refletindo a melhora dos seus principais indicadores de desempenho. As provisões técnicas ultrapassaram R$ 252 bilhões, correspondentes a cerca de 27% do total do mercado segurador, e os ativos financeiros alcançaram aproximadamente R$ 280 bilhões. O total pago em indenizações e benefícios atingiu R$ 29 bilhões, correspondentes a mais de R$ 230 milhões por dia útil.

O Grupo Segurador encerrou o semestre com cerca de 25% de market share e mais de 53 milhões de segurados, participantes, clientes e contratos, um aumento de 5% em relação ao mesmo período de 2017. Há 16 anos consecutivos o Grupo é apontado como Top of Mind pelo Instituto Data Folha.

Leia mais...

Karine Paes de Barros Angel Peláez e Paula Tassi

Na noite de ontem, 4, a Allianz Seguros recebeu o Troféu Gaivota de Ouro na categoria “Excelência em Produtos de Seguradoras”, em cerimônia de premiação do Prêmio Mercado de Seguros ocorrida no Clube Armenio. O reconhecimento foi concedido à carteira de Riscos Industriais.

A performance alcançada pela Allianz é resultado de ações estritamente relacionadas à modalidade, como equipe de subscrição especializada e qualificada para atuação em riscos industriais, apoio da área de Loss Control em inspeções e acompanhamentos fundamentais aos clientes e orientação aos segurados na gestão de risco.

O Prêmio Mercado de Seguros está na 18ª edição e é organizado pela revista Seguro Total

A explosão no crescimento do número de grandes cidades e sua população tornou a mobilidade urbana um problema que implora por atenção. Quais os desafios e quais poderiam ser as soluções?

  • A humanidade parece estar se espremendo em porções cada vez menores do planeta
  • Nas últimas décadas, pessoas de países desenvolvidos e em desenvolvimento têm cada vez mais se aglomerado nas cidades
  • Em São Paulo, metade dos adultos gasta pelo menos duas horas por dia no trânsito

É um fenômeno novo e difícil. Por séculos, pessoas têm se mudado do campo em busca de educação e oportunidades de trabalho. De volta a 1800, quando Pequim se tornou a primeira cidade da era moderna com um milhão de habitantes, apenas duas pessoas a cada 100 viviam em cidades.

Já em 2017, pela primeira vez, a maioria da população viveu em áreas urbanas e não mais rurais. A projeção é que isso cresça para 66 pessoas a cada 100 até 2050. Ainda nada tem marcado o triunfo das cidades como a ascensão das megacidades. Nova York foi a primeira que passou da marca de 10 milhões de habitantes em 1950. Desde então, o número de megalópoles cresceu rapidamente. Em 2016, elas eram 31, a maioria na Ásia, incluindo Pequim, Xunquim e Xangai na China e Deli e Mumbai na Índia.

O Japão tem Tóquio, que, com 37,8 milhões de habitantes, tem a maior aglomeração urbana de pessoas no mundo, e Osaka. Existem mais pessoas “compactadas” dentro da cidade de Carachi no Paquistão (27 milhões) do que as contabilizadas no continente inteiro da Austrália (24 milhões). A China já começou a construir a infraestrutura para Jing-Jin-Ji, a megalópole prevista para englobar Pequim, Tianjin e Hebei, com 130 milhões de pessoas e será 137 vezes o tamanho de Londres.

O problema da aglomeração

- Tóquio é a maior cidade do mundo com 38 milhões de habitantes

- Deli é a segunda com 25 milhões, seguido por Xangai com 23 milhões e Cidade do México, Mumbai e São Paulo, cada uma com cerca de 21 milhões de cidadãos

- Tóquio está prevista para permanecer como a cidade mais populosa do mundo com 37 milhões de habitantes, seguido por Deli, onde a projeção é que a população cresça rapidamente até 36 milhões

Sinais vermelhos

Como as grandes metrópoles ao longo da história, as megacidades oferecem oportunidades de cultura, negócio, conhecimento e indústrias. As multidões são guiadas pela esperança e pobreza existentes no campo. Entretanto, existem os lados negativos de reunir tantas pessoas dentro de espaços tão pequenos.

Além da criminalidade, escassez de água, destruição e desperdício do meio ambiente, os serviços frequentemente se mostram inadequados frente às crescentes demandas. Muitas pessoas em lugares, como Manila nas Filipinas, Cidade do México e Mumbai, na Índia, simplesmente acabaram trocando a esmagadora pobreza rural pelas favelas urbanas.

Movimentos restritos

Nas grandes cidades, mobilidade é um problema frequentemente subvalorizado. O tópico foi discutido durante a “Urbagora”, a primeira conferência europeia a respeito do futuro da vida urbana, organizado pelo Instituto de Megacidades, localizado na cidade de Paris – a organização sem fins lucrativos foi cofundada pela Allianz França. Entre os temas abordados no encontro, foi citado, por exemplo, como o alucinante crescimento urbano da China ajudou a impulsionar a economia do país nas últimas três décadas. Hoje a China tem seis grandes cidades e outras 100 são a residência de um milhão ou mais de pessoas.

Mais “urbanóides”, mais dinheiro, o que significa mais rodas nas estradas. O número de carros na China cresceu de 59 milhões em 2007 a pouco mais de 300 milhões, de acordo com o Ministério Chinês de Segurança Pública.

Uma das consequências é que a China agora tem 10 das 25 cidades mais congestionadas globalmente. A velocidade média na hora de rush em Jinan, a capital da província de Shandong, província no nordeste da China, é abaixo de 20 km/h – a mais lenta do mundo. As estradas em Pequim e Xangai estão frequentemente congestionadas. A China está longe de ser a única a ter problemas com mobilidade. Em São Paulo, metade de todos os adultos gasta pelo menos duas horas por dia no trânsito, o que faz a média de uma hora por dia de Nova York parecer tranquila.

Mais rodas, mais problemas

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Megacidades, com as 20 maiores cidades no mundo, identificou cinco problemas críticos relacionados à mobilidade urbana – problemas de estacionamento, congestionamento, áreas verdes limitadas e poluição sonora e do ar.

A poluição no ar é a maior preocupação dos moradores das cidades. Por exemplo: em 2013, Xangai sofreu durante 124 dias quando uma camada superfina de poluição excedeu 600 microgramas por metro cúbico. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda não mais que 10 microgramas e estima que a poluição em espaços abertos causou 3 milhões de mortes prematuras no mundo em 2012.

As emissões do trânsito continuam a contribuir significativamente para as condições ruins do ar que permanecem como pragas das cidades chinesas. Em âmbito mundial, em 2014, a OMS estimou que 92% da população estava vivendo em lugares onde a orientação dos níveis de qualidade do ar não eram cumpridas.

População urbana inteligente

Cidades cobrem mais ou menos 2% da superfície, mas consomem cerca de 75% dos recursos naturais, de acordo com a Euramet. Megacidades são particularmente vorazes no consumo de recursos. As Nações Unidas projeta que o número de megacidades irá subir para 41 em 2030. Até lá, elas abrigarão cerca de 9% da população global.

Então, como podemos lidar com a rápida e contínua urbanização no mundo?

Inovação e novas tecnologias podem prover as ferramentas necessárias para fazer as cidades mais inteligentes e reduzir o impacto negativo do estilo de vida adotado nelas.

Sobre a Allianz Seguros

No País há mais de 110 anos, a Allianz Seguros atua no Brasil em ramos elementares e saúde empresarial e está presente em todo o território nacional por meio de suas 63 filiais.

A Allianz Seguros é uma empresa do Grupo Allianz, um dos líderes mundiais em seguros e o maior da Europa, com presença em mais de 70 países. Além de oferecer produtos e serviços, a Allianz também se destaca na área de pesquisa de grandes riscos, estudos de sustentabilidade e nos investimentos em fontes renováveis de energia.

A Allianz SE é membro da Transparência Internacional e apoia os princípios do Pacto Global das Nações Unidas e as Diretrizes da OCDE para Multinacionais por meio de seu Código de Conduta. A organização é uma das líderes do setor de seguros no Índice Dow Jones de Sustentabilidade, listado no FTSE4GOOD e no Carbon Disclosure Leadership Index (Carbon Disclosure Project, CDP6).